Conceito de Luís Filipe Silva

Ficção Científica, Fantástico, Surrealismo, Realismo Mágico, Terror, Horror, Ciberpunk e História Alternativa - e por vezes, se fôr de excelente qualidade, ainda fechamos os olhos a um certo Mainstream...

[Conheça o Manifesto]


Os acontecimentos mais recentes da ficção científica e fantástico em Portugal e no mundo

Eventos |  17 Nov 2011
Fórum Fantástico 2011
Notícias

É chegado aquele momento do ano, em que fãs, entusiastas, críticos, criadores, destruidores, penetras, passageiros, curiosos e simples distraídos se juntam para comemorar a festa do fantástico em português. Debates, conversas, troca de ideias, alguns livros, algum cinema, esperamos que muito convívio. A dupla organizadora - Rogério Ribeiro e Safaa Dib - é incansável na elaboração e defesa de um evento tão contrário ao actual paradigma público de imersão no presente conturbado deste país sem perspectivas de futuro. Alguém que nos faça sonhar dentro do pesadelo.

Sexta, 18 de Novembro

15:00 – Abertura

15:15 – Projecto Trëma: Apresentação de Rogério Ribeiro e Sofia Vilarigues.

15:30 – Literatura Fantástica Portuguesa – Edição e Comunidade. Painel com António de Macedo, Rogério Ribeiro, Luís Filipe Silva, entre outros.

16:30 – Eternauta: Germano Facetti e a nova imagem da ficção científica nos anos 60.  Apresentação de Pedro Marques.

17:00 – Intervalo

17:30 – Ensinar Ficção Científica: Painel com Maria do Rosário Monteiro, Jorge Rosas e João Lin Yun, moderado por Rogério Ribeiro.

18:30 – Os Sexos na Literatura Fantástica: Painel com Madalena Santos, Bruno Martins Soares, Pedro Ventura e Inês Rolo, moderado por Daniel Cardoso.

19:30 – Dog Mendonça e Pizzaboy, parte II: Apresentação com Filipe Melo e João Alves.

Sábado, 19 de Novembro

15:00 – Conspirações e Apocalipses: Painel com João Leal, Renato Carreira, Félix J Palma e Adrian Lacy, moderado por Safaa Dib e Rogério Ribeiro.

16:00 – À conversa com Félix J. Palma: Apresentação moderada por Rogério Ribeiro.

16:30 – A Autoridade do Autor: Painel com presença de Ricardo Cabral e Luís Filipe Silva, participação vídeo de Manuel Jorge Marmelo e Patrícia Portela, e moderação de João Morales.

17:30 – Intervalo e Sessão Conjunta de Autógrafos

18:00 – Esboços de um mundo Electropunk: convite à submissão. Apresentação por João Barreiros, organizador da antologia Lisboa Electropunk

18. 10 - Anúncio do conto vencedor e demais incluídos na Antologia de Ficção Científica – Fantasporto 2012. Apresentação por Rogério Ribeiro e Pedro Reisinho

18.30 – Apresentação da antologia Os Anos de Ouro da Pulp Fiction Portuguesa, com presença do editor, organizador e autores, seguida de sessão de autógrafos

Domingo, 20 de Novembro

15:30 – Sugestões de Leitura: Apresentação com Ana Cristina Alves, João Barreiros e Artur Coelho.

16:00 – À Conversa com João Monteiro e António de Macedo com preview de futuro documentário sobre carreira cinematográfica de António de Macedo: Apresentação moderada por Safaa Dib

17:00 – Intervalo

17:30 – À Conversa com Victor Mesquita: Apresentação moderada por Rogério Ribeiro

18:00 – Banda Desenhada: Painel com Rui Lacas (Asteroid Fighters), Rui Ramos (Voyager), entre outros.

19:00 – Banana Motherfucker: Curta-metragem de Fernando Alle/Colectivo Clone

Durante o evento estará disponível uma Feira do Livro Fantástico, gerida pela livraria Dr. Kartoon, assim como uma banca da editora Saída de Emergência e uma banca de jogos da Runadrake.

Decorre na Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro, Telheiras, Lisboa. Mais informações no [link]

Lançamentos |  04 Mai 2011
Batalha, de David Soares
É já no sábado, dia 7, que o próximo romance de David Soares, Batalha, ficará disponível aos leitores portugueses. É-nos descrito como «uma história em que os animais são protagonistas. Passado no início do século XV, Batalha é um romance sombrio, filosófico e comovente, que observa o fenómeno religioso do ponto de vista dos animais e especula sobre o que significa ser-se humano. Batalha, a ratazana, procura por sentido, numa viagem arrojada que a levará até ao local de construção do Mosteiro de Santa Maria da Vitória, o derradeiro projecto do mestre arquitecto Afonso Domingues. Entre o romance fantástico e a alegoria hermética, Batalha cruza, com sensibilidade e sofisticação, o encantamento das fábulas com o estilo negro do autor.» Soares tem contribuido progressivamente para a efabulação da cidade de Lisboa - e por conseguinte, para a efabulação da nossa memória enquanto povo - com A Conspiração dos Antepassados e Lisboa Triunfante, desenvolvendo um território de Fantasia muito próprio. Quem o leu, diz que este é o seu melhor livro. Cá por casa, aguardamos ansiosamente pelo lançamento na Feira do Livro de Lisboa, sábado, 7, pelas 17h, com a presença do autor e do ilustrador da obra, Daniel Silvestre da Silva. Edição da Saída de Emergência. Fiquem-se com o excerto: «Ocultando-se dos olhares dos indivíduos, foi admirando a disposição das casas e dos objectos e achou que aquele sítio não era diferente da quinta. A multiplicidade de cheiros era estonteante, mas uma azeda fragrância cerealífera, que permeava tudo, era o dominante, secundada por um desagradável odor metálico. (...) Quasi-reptante, e resguardado pelas sombras das paredes de pedra das casas, Batalha também sentiu cheiros felinos, mas não viu gatos nenhuns; então, no centro da aldeia, viu dois homens pendurados pelos pescoços, por gramalheiras, num pelourinho de pedra plutónica. As faces escoriadas pela erosão cadaverina deixavam-lhes os ossos à mostra; e os seus dentes arreganhados e alcalinos, que lhes emprestavam ares de animais granívoros, pareciam feitos do mesmo granito do pilar pendulifloro. Havia um terceiro homem, ao pé deles, mas suspenso pelo tórax e ainda vivo. Era este que meia-dúzia de gente insultava e atirava vegetais apodrecidos, num efusivo avesso de aclamação; os outros balouçavam com boçalidade, só com as moscas como companhia. (...) A somar àquilo que Batalha já aprendera sobre a morte, vinha o conhecimento de que ela era vaidosa e exigia jóias novas a todas as horas: ouropéis ossiculares, pingentes de polpa, medalhões morbíficos, cadáveres cristalóides — peças preciosas para estimular emulação nos espectadores das execuções: o seu público preferido — os seus idólatras impecáveis e incansáveis. E, no entanto, no meio da morte, a vida também vicejava: bebés riam nos colos das mães, os pássaros cantavam nos telhados das casas e os insectos zumbiam, num zunzum bem-humorado, enquanto sugavam os sucos naturais das flores, frutos e falecidos.»

Eventos |  12 Abr 2011
Conversas @ Porto
Notícias Se pensavam que o fantástico nacional só se reunia em Lisboa para Fóruns Fantásticos, Mensageiros das Estrelas e a ocasional bebedeira (literária, pois então), eis que somos convidados a assistir ao primeiro Conversas Imaginárias volante. Assim, no próximo fim de semana, o Fantástico luso estará reunido no Porto, no que, penso, seja o primeiro encontro que, tendo nascido na capital, desta sai - uma vontade há muito por cumprir. A ter lugar no Clube Literário do Porto (Rua Nova da Alfândega, 22), um espaço agradável com vista para o rio ao qual o género já é familiar. A organização está a cargo de Rogério Ribeiro, Rui Baptista, Inês Botelho, Rui Ramos e Madalena Santos, e a ajuda de Isabel Damião do CLP. Segue o programa:

Sábado, 16 de Abril

10:30 – Ponto de Encontro: Piano-Bar do CLP.

Sessões no Auditório:
11:30 – Novas formas de publicação em Portugal (debate com Pedro Ventura, Carla Ribeiro, Diana Sousa e Ana Cláudia Silva; moderação de Rogério Ribeiro).
12:30 – Intervalo.
14:00 – Arte Fantástica: Ilustração, Fotografia e Banda Desenhada (apresentações por Ana Cruz, André Coelho, Pedro Miranda, Manuel Alves e Diogo Carvalho; moderação de Rui Ramos).
15:30 – Marionetas do Porto (apresentação por Isabel Barros e Shirley Resende; moderação de Rui Ramos).
16:00 – O Porto Fantástico e o Fantástico no Porto: À conversa com Beatriz Pacheco Pereira (moderação de Rogério Ribeiro).
17:00 – Intervalo.
17:30 – Contos: O Fantástico em dose concentrada (debate com João Ventura, Jorge Palinhos, João Reis e José Pedro Lopes; moderado por Inês Botelho).
18:30 – Projectos multimédia (apresentações de Nocturnus (Rafael Loureiro-escritor), Yoshi (João Pedro Sousa-mangaka+Pedro Andrade-músico), Noidz (Andreia Lopes-vocalista e José Baetas-ilustrador) e UnderSiege; moderação de Rogério Ribeiro).

20:30 – Encontro em restaurante a anunciar. Jantar com a participação especial da contadora de histórias Clara Haddad.


Domingo, 17 de Abril

Sessões no Auditório:
11:30 – Literatura Fantástica Portuguesa (debate com João Barreiros, Ana Cristina Alves, Luís Filipe Silva e João Seixas; moderação de Madalena Santos).
13:00 – Intervalo.
14:30 – Utopias e Distopias (debate com Fátima Vieira, Luís Filipe Silva e João Seixas; moderação de Inês Botelho).
15:30 – Cinema Fantástico (debate com Paulo Leite, Artur Serra Araújo e Nuno Reis; moderação de Rogério Ribeiro).
17:00 – Intervalo.
17:30 – Gravação ao vivo do podcast Jogador-Sonhador (por Ricardo Tavares).

[mais detalhes]

Lançamentos |  19 Nov 2010
Uma Sensação de Déjà Vu
Os Mágicos, de Lev Grossman, fez furor durante o passado ano no mercado americano de literatura juvenil. Apresentado como uma versão de Harry Potter que decorre numa faculdade daquele grande continente (talvez não tão diferente da Harvard em que andou o autor), o livro recebeu críticas por ser, genericamente, desprovido de enredo - acusação à qual o congénere britânico poderia igualmente responder, pelo menos relativamente ao primeiro livro. Tendo nós provado deste prato para satisfazer mais curiosidade do que fome, mas ficando muito, muito aquém de atingir a meta da última página (por um lado, magia na ponta dos dedos é algo muito difícil de justificar em termos físicos, e por outro, nem na nossa época estudantil nos interessavam histórias passadas em ambientes educativos, por que nos interessariam agora?), não podemos deixar de concordar com a opinião. Além da sensação desconfortável de os professores daquela faculdade incentivarem os alunos a nunca questionarem as leis subjacentes às artes máginas, nem perguntarem sobre as origens das mesmas, algo que esperariamos incendiasse a rebeldia juvenil e colocasse todo o campus, inclusive todo o mundo, em perigo, tornando-se no principal motivo de enredo - contudo, infelizmente, aqueles adolescentes terão sido castrados, pois só se preocupam com as relações de amizade e amor que estabelecem entre si, com o ajustar-se e integrar-se... quiçá, não dedicámos tempo e páginas suficientes e apareceria mais tarde, mas a vida é curta e há tanto de melhor para ler. Ainda assim, fica a recomendação, que pode ser do vosso interesse, mas principalmente por que representa um agradável retorno da editorial Planeta ao Fantástico, e que esperamos se mantenha. Do press-release: «Quentin Coldwater, um aluno do liceu intelectualmente precoce, foge ao tédio da vida diária lendo e relendo uma série de livros de fantasia passados num país encantado chamado Fillory. Como toda a gente, o jovem parte do princípio de que a magia não é real, até que se vê de repente admitido num colégio de magia muito secreto e muito exclusivo, a norte de Nova Iorque. Ao atravessar uma viela de Brooklyn, no Inverno, Quentin vê-se, em pleno fim de Verão, nos terrenos do idílico Colégio de Pedagogia Mágica de Brakebills e depois de passar por um difícil exame de admissão, inicia um complicado e rigoroso curso de feitiçaria moderna, ao mesmo tempo que descobre as alegrias da vida escolar: amizade, amor, sexo e bebida. Porém, falta-lhe qualquer coisa. Ao mesmo tempo que aprende a lançar feitiços, a transformar-se em animal e a adquirir poderes com que nunca sonhara, Quentin descobre que a magia não lhe dá a felicidade e a aventura com que sonhava. Um livro para os leitores que cresceram a devorar fantasia e que sentem falta de livros como Harry Potter. Ou para os que adoraram o mundo mágico de Nárnia. Os Mágicos é uma sábia fusão dos dois romances mais famosos das últimas décadas.» Deste autor, existe ainda uma edição portuguesa, pela Presença, de O Códice Secreto, que surgiu e desapareceu muito discretamente, e que mistura dois géneros muito irreconciliáveis: a bibliofilia e o tecno-thriller...

Eventos |  11 Nov 2010
Fim-de-Semana Fantástico
Notícias Chama-se a vossa atenção para o arranque iminente do Fórum Fantástico, que este ano comemorará a sua 5ª edição. Tratando-se uma iniciativa derivada dos Encontros de Literatura Fantástica que ocorreram em 2004, nas mesmas salas e Faculdade que os Mensageiros das Estrelas da semana passada, este importante e, para todos os efeitos, único evento de confraternização e divulgação do Fantástico na vertente escrita a nível nacional volta a juntar autores nacionais e estrangeiros, leitores e entusiastas num fim-de-semana alargado, com particular destaque para a divulgação. Venham manifestar o vosso apoio e aplaudir esta iniciativa para que possa continuar por muitos mais anos. Começa amanhã, 12, e terminará no domingo. Pelo palco do auditório da Biblioteca de Telheiras, Lisboa, passarão ainda David Soares, Stephen Hunt e Peter Brett.

Particular destaque para o dia de Sábado, 13:

  • 10:30 – A Mecânica da Escrita Fantástica (I) – “Worldbuilding”, por Ricardo Pinto.
  • 11:15 – A Mecânica da Escrita Fantástica (II) – “Invented Technology and Atmosphere”, por Stephen Hunt.
  • 12:00 – A Mecânica da Escrita Fantástica (III) – “Characters and Characterization”, por Peter V. Brett.
  • 14:30 – “Fórum Fantástico: 5 anos, e agora?”, à conversa com Rogério Ribeiro e Safaa Dib.
  • 15:00 – Painel “Lisboa Fantástica”, moderado por Rui Tavares, com João Barreiros, David Soares e Octávio dos Santos.
  • 16:00 – Cinema Fantástico Português – Curtas.
  • 17:00 – Intervalo.
  • 17:30 – Lançamento “A Luz Miserável”, com o autor David Soares.
  • 18:00 – À Conversa com Ricardo Pinto, por João Seixas.
  • 18:30 – À Conversa com Stephen Hunt, por Luís Corte-Real.
  • 19:00 – À Conversa com Peter V. Brett, por Pedro Reisinho.
  • 19:30 – Sessão conjunta de autógrafos.

[Programação completa]

Eventos |  13 Out 2010
Mensagem, Mas Não Numa Garrafa
Notícias Porque a literatura fantástica se tem vindo a impor como veículo imprescindível para a compreensão do presente e escrutínio do futuro. Porque o desenvolvimento do género apenas acontece quando o triunvirato literário se completa, entre o autor, leitor e crítico. Porque os encontros nacionais não se podem resumir à apresentação de obras e debates de ocasião. Porque a Academia confere a disciplina de pensamento e análise imprescindíveis para a reflexão do género sobre si mesmo. Porque Portugal não está isolado do mundo. Porque é necessário abordar com profundidade a multiplicidade de temas e veículos desta manifestação cultural. Porque não nos podemos deixar iludir pela correnteza das modas e ignorar os fundamentos nos quais a especulação científica e o imaginário fantástico se apoia. Porque não existe uma perspectiva consolidada e consensual sobre o que é o fantástico nacional. Porque, simplesmente, consideramos o debate sobre o fantástico como parte integrante da nossa forma de estar na vida e esta se torna numa excelente oportunidade para cometermos novamente este pecado.

Mensageiros das Estrelas -  Colóquio sobre Ficção Científica e Fantasia surge inesperadamente, alguns diriam irreverentemente, num cenário cultural que tem já um evento consolidado e de renome, que se trata do Fórum Fantástico. E sendo Portugal um espaço no qual a produção interna é escassa, pode tornar-se dificil explicar o porquê de tal multiplicação, em particular quando os momentos temporais dos acontecimentos são tão próximos. Há que pensar, primeiramente, que a diversidade é um factor positivo, e que eventos organizados por equipas diferentes se irão traduzir em abordagens diferentes ao mesmo tema, em particular se ambos estiverem conscientes um do outro e em relativo contacto. De seguida, desmitifica-se o pressuposto: Portugal já não produz tão pouco Fantástico como antigamente, existindo uma massa crítica de criadores e audiência suficiente para abranger ambos os eventos. E por fim, a necessária aproximação ao meio académico, da qual o colóquio se torna assim como um dos primeiros passos na História da FC nacional.

Mensageiros das Estrelas é organizado pelo Centro de Estudos Anglísticos da Universidade de Lisboa e terá lugar na Faculdade de Letras da mesma universidade durante os dias 2 a 5 de Novembro próximo. Contará com uma diversidade de debates e palestras sobre autores e manifestações do fantástico, abordando temas tão diversos como o steampunk, os pontos de união com outros géneros, o feminino, a importância da imagem, as utopias e distopias, o imaginário português, entre outros, em áreas que vão da literatura, ao cinema e à banda desenhada. Entre mesas-redondas, palestras e apresentações, teremos a presença internacional de Farah Mendelssohn, professora universitária e estudiosa do género fantástico, Maite Carranza, autora catalã de fantasia infanto-juvenil, e Geoff Ryman, autor canadiano de FC, publicado pela Clássica, Caminho e Gailivro, e que já visitou Portugal por ocasião dos encontros da Simetria.

A equipa incansável que preparara estes encontros conta com Adelaide Meira Serras, Angélica Varandas, Ana Daniela Coelho, Ana Rita Martins, Duarte Patarra, José Duarte, Safaa Dib. Há ainda um outro que apenas vai dando umas dicas. [site oficial]

Lançamentos |  12 Out 2010
Das Orakel vom Berge
Notícias Com tradução renovada, pela pena do David Soares, e com ensaio introdutório do Nuno Rogeiro (que infelizmente, não inclui a indicação das edições portuguesas na listagem da bibliografia do autor), que também apresentará aquando do lançamento (dia 14 de Outubro, na FNAC Colombo, pelas 18:30), surge de novo no mercado nacional O Homem do Castelo Alto, uma das mais conhecidas obras de Philip K. Dick, no qual a Segunda Guerra foi ganha pelas nações do Eixo, tendo como resultado a divisão dos Estados Unidos em duas zonas, a do Pacífico controlada pelos japoneses e a do Atlântico controlada pelos alemães (e que a capa, inspirada na edição da Penguin de 2001, representa de forma soberba). «Estamos em 1962. A Segunda Guerra Mundial terminou há dezassete anos e a população já teve tempo de se adaptar à nova ordem mundial. Mas não tem sido fácil: o Mediterrâneo foi drenado, a população de África foi eliminada e os Estados Unidos da América divididos entre nazis e japoneses. Na zona neutra que divide as duas superpotências vive o homem do castelo alto, autor de um bestseller de culto, uma obra de ficção que oferece uma teoria alternativa da história mundial em que o Eixo perdeu a guerra. O romance é um grito de revolta para todos aqueles que sonham derrubar os invasores. Mas poderá ser mais do que isso? Subtil e complexo, O Homem do Castelo Alto permanece como o melhor romance de história alternativa jamais escrito», afirma a Saída de Emergência, recuperando assim para o mercado nacional esta obra indispensável. [bibliografia de Philip K. Dick em português]

Página Seguinte >>
(c) Luís Filipe Silva, 2003/2007. Não é permitida a reprodução não autorizada dos conteúdos.

Breves   Subscrever

27 Nov 2011: Uma nova história enriquece a nossa secção de Ficções: Omegalfa do belga Frank Roger, fábula sobre o tempo e o devir. [link]

26 Abr 2011: Encontra-se disponível para leitura gratuita a antologia Lugares Distantes, organizada por Daniel Cavalcante e Jonathan Cordeiro Cavaca, contendo relatos fantásticos de autores portugueses e brasileiros, entre os quais Emanuel R. Marques, João Rogaciano e Bruno Resende Ramos. [link]

14 Nov 2010: Hoje, no Fórum Fantástico: workshops de escrita com David Soares e Luís Pereira, painéis sobre sugestões de leitura, banda desenhada e fantástico, e curtas portuguesas. A não perder [programação]

14 Nov 2010: Atribuidos os prémios franceses Utopiales 2010. Vencedores ex-aequo: Cygnis de Vincente Gessler e Tancrède de Ugo Bellagamba [link]

20 Jul 2010: Lançamento inaugural do jornal Conto Fantástico, dia 21, às 19h, na Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro, Telheiras, Lisboa.

[MAIS]

Destaque


Por Universos Nunca Dantes Navegados - Antologia da Nova Literatura Fantástica em Língua Portuguesa. 14 histórias da pena de autores portugueses e brasileiros, numa antologia inédita, que exploram os universos da ficção científica e da fantasia. Venha conhecer a obra de Telmo Marçal, João Ventura, Octávio Aragão, Yves Robert, Maria Helena Bandeira, Gabriel Boz, entre outros. [MAIS DETALHE]

Recentes

O Futuro à Janela em E-book - Em 1991, a Editorial Caminho atribuia o prémio bienal de originais de Ficção Científica em língua portuguesa a uma colectânea de 11 contos e um poema, intitulada O Futuro à Janela. Em 1998, esse mesmo livro era re-editado numa colecção de jovens autores portugueses do Círculo de Leitores. Hoje, o livro continua a desbravar territórios numa versão gratuita em e-book, para leitura e divulgação. Era a obra de estreia de Luís Filipe Silva, que agora vai mantendo o site que se encontram a ler e escrevendo outras coisas. Versão em ficheiro PDF, 400kb. [link]

Adquirir pela Mediabooks

Email
contacto@
tecnofantasia.com

Folhear

Página Inicial
Página Seguinte

Efeitos Secundários   Subscrever

Nota

A nova versão deste site ainda é Beta - o que significa que terá algumas imperfeições e conteúdos não disponíveis. Contudo, considerámos que a mudança global trazia vantagens face a estes pormenores - iremos informando à medida que melhorias sejam efectuadas. Esteja à vontade para usar o email indicado e dar-nos os seus comentários ou relatar problemas. E obrigado pela visita.
- LFS