Exposição Prolongada à Ficção Científica  

   um blog de Luís Filipe Silva


Encontra-se em modo de artigo. Para ver as outras entradas vá para a Página Inicial ou Arquivo, no menu da direita.

12 Janeiro 2014

Leituras de 2014 (1). One Horse Town (conto, bib.), de Howard Waldrop e Leigh Kennedy. Lido em inglês.

Uma breve mas historicamente densa visão sobre a conquista de Tróia pelos gregos e o episódio do cavalo que daria origem ao célebre ditado “quando te oferecerem um grego, não lhe vejas os dentes”, ou algo assim. Waldrop não se limita à reconstituição histórica nem ao banal truque do desfecho alternativo para evocar temas do Fantástico, mas aplica a sua erudição para transformar o conto numa verdadeira peça de literatura – como é habitual no autor. Desconhece-se a contribuição de Kennedy, mas a opção de entrecruzar três perspectivas temporais – a de Corebo, filho do rei da Frígia, a do poeta Homero ainda criança e a do arqueólogo Heinrich Schliemann durante as escavações das ruínas daquela cidade – que acabam por se misturar em delicadas e convincentes transições de meta-narrativa, é utilizada por Waldrop em outros contos seus. É impressionante como um texto tão breve consegue dar alento àquela terra dos mitos e fazer dela cidade viva, cujo povo, devastado pela longa guerra, se deixa convencer pela fácil retirada dos gregos com o resultado trágico que ecoou nos tempos – afirmando entretanto que os pequenos dramas pessoais, escondidos na grande trama histórica, jamais serão desenterrados pelo presente – e tem ainda espaço para opinar sobre a natureza do processo narrativo através da voz do infante Homero, que encontra na obsessão dos épicos pelos feitos uma oportunidade perdida, pois os poemas deviam centrar-se nos heróis, nos soldados quando regressam a casa, nas famílias que deixaram e no tempo que passou, um truísmo agora tão óbvio mas que andou perdido, nos tempos em que a própria literatura dava os primeiros passos. Impressionante.

PS – atente-se na ironia do título, uma expressão que pode significar «vilarejo insignificante» pois nele só há um cavalo...

[Link Permanente

Site integrante do
Ficção Científica e Fantasia em Português
Texto
Diminuir Tamanho
Aumentar Tamanho

Folhear
Página Inicial

Arquivo

Subscrever
Leitor universal

Adicionar ao Google Reader ou Homepage
Subscrever na Bloglines

Contacto